29 de abr de 2010

Rudolf Laban


O CORPO PRISMÁTICO
Um ponto de vista sobre a pesquisa em dança

Espaço vazio não existe. Ao contrário, o espaço é uma superabundância de movimentos simultâneos.
Rudolf Laban

A idéia de Corpo Prismático se baseia na construção da Kinesfera (K) como um corpo
cristalino em movimento, através do qual a força de gravidade da Terra, a tridimensionalidade
do espaço e a intensidade do movimento estão em harmonia com a percepção e a criatividade.
Considerando que o "espaço está contido movimento e o movimento é um aspecto visível do
espaço"1, Corpo Prismático representa o corpo do dançarino como uma estrutura arquitetônica
em constante mutação. O conceito básico de (K) é o da esfera de movimento individual
estruturada pela tridimensionalidade do corpo que como um cristal multifacetado reflete a
expressividade de sua matéria. De acordo com a esfera universal e no silêncio do Cosmo, como
um prisma cristalino que refrata a luz em cores, o Corpo Prismático refrata a energia do
movimento em formas expressivas de dança. Assim, podemos pensar que as formas de dança
podem ser como um mosaico 3D composto não só pelo corpo em movimento, mas também por
diversas formas plásticas em movimento.
Este conceito é o que rege a Coreologia de Rudolf Laban:
1 LABAN, Rudolf. A Vision of Dynamic Space. London & Philadelphia: Laban Archives/ The FolmerPress, 1984.

Coreologia é a lógica ou ciência da dança, que poderia ser entendida puramente como
um estudo geométrico, mas na realidade é uma espécie de gramática e sintaxe da
linguagem do movimento que trata não só das formas externas do movimento, mas
também do seu conteúdo mental e emocional. Isto é baseado na crença de que
movimento e emoção, forma e conteúdo, corpo e mente são unidades inseparáveis
(LABAN, 1966: 8)2.

Conhecido historicamente como o pai da dança moderna européia, foi arquiteto, artista
gráfico, coreógrafo, bailarino, professor e pioneiro no estudo prático-teórico do movimento
denominado Coreologia. No início do século XX elaborou o Sistema de Análise do Movimento
sobre duas teorias: a Teoria das Harmonias Espaciais que designa a lógica da estrutura espacial
e os conteúdos dinâmicos do movimento a partir da "sabedoria dos cristais"; e a Teoria dos
Esforços que trata dos aspectos expressivos do movimento, da dinâmica e do ritmo. A partir
dessas duas teorias Laban criou o Sistema de Notação do Movimento (Labanotação).
Interessado por formas de movimento de diversas origens defendeu as habilidades de dança para todos, uma vez que o movimento está presente em todos os corpos do universo. Assim criou não apenas um sistema de estudo para o movimento humano, mas uma proposta existencial,
filosófica e política inspirado pelas teorias de Darwin, os "Cristais Vivos" de Ernst Haeckel3, a
psicofísica de Wilhelm Wundt, integradas aos mistérios maçônicos, ao misticismo de Pitágoras
e aos segredos da matemática desde a pré-história usados pelos egípcios e descritos no período
pré-helênico por Platão. Como artista expressionista atuou intensamente no período das duas
Grandes-Guerras influenciado principalmente pela pintura abstrata de Vassili Kandinsky e de
Hermann Obrist.
O Sistema de Análise do Movimento é estruturado por quatro categorias
fundamentais que estão inter-relacionadas: Corpo-Esforço-Espaço-Forma e por quatro
grandes Temas de Transformação Dinâmica: Interno/Externo, Estabilidade/Mobilidade,
Função/Expressão e Esforço/Recuperação. Laban buscava a expressividade do
movimento no que há de mutável, funcional, espiritual e especial em cada um.

2 LABAN, Rudolf. The language of movement: a guidebook of choreutics. England, British, 1966.
3 Haeckel entendia a forma cristalina como uma imagem viva que continha, concretizava e dava sentido aos princípios da natureza nela mesma.
4 Wundt desenvolveu um método racional chamado de "psycho-physical" que estabilizava as bases filosóficas da unidade entre o homem e a natureza contida na teoria darwiniana.
3Bartenieff5, a integração do Corpo com as outras categorias em conexão com os temas
dinâmicos de transformação6.
A aplicação da teoria de movimento de Laban/Bartenieff sob o ponto de vista do Corpo
Prismático, exemplifica uma possibilidade de pesquisa em dança a partir da idéia de integração
entre pensamento-ação-emoção contidos no movimento, prática de montagem e interação das
artes que compõem o espetáculo. Vislumbra ainda uma rede de intercâmbio institucional cuja
proposta é incentivar a reflexão crítica e explorar a criatividade, difundindo o jogo
duplo entre arte e ciência por meio da dança.
5 Irmgard Bartenieff, bailarina dos anos 20 na Alemanha, estudou com Laban. Cinesioterapeuta. Pioneira no campo da dança-terapia fundou do Laban/Bartenieff Institute of Movements Studies em 1978 (LIMS/ NY). Aplicou e desenvolveu os princípios e as teorias de Laban com deficientes físicos e dançarinos.
Criou um método de reeducação pelo movimento chamado de Bartenieff Fundamentals, atualmente aplicado como um dos pilares técnicos da dança contemporânea e uma das mais eficientes metodologias adotadas pelas terapias somáticas. Os BF são uma abordagem integrativa do treinamento corporal que enfatiza a conexão total do corpo, maximizando a potência do movimento em eficiência e expressividade.
6 Este material vem sendo aplicado em diversas áreas de conhecimento no campo das Artes, das Ciências e da Insdústria.

Texto: Marina Martins da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário